Uma parceria para a BH do amanhã

Codese como proposta de visão de longo prazo para a cidade

Há muito tempo se fala em copiar em várias cidades do Brasil o exemplo de sucesso estabelecido pelo Conselho de Desenvolvimento Econômico de Maringá. Criado formalmente em 1996 após muita articulação da sociedade civil, o Codem conseguiu ser exemplo por não ser apenas mais um fórum de discussão, mas realmente uma instância em que poder público e a sociedade organizada construíam o futuro da cidade.

Para que uma organização com essas dimensões saia do papel, não basta apenas boa vontade. É preciso que os agentes da sociedade levem o projeto a sério para que o poder público também passe a levar o conselho em consideração. É por isso que muita gente já citou essa ideia, mas poucas vezes o projeto seguiu em frente. 

Aqui, em Belo Horizonte, temos finalmente um caso que pode virar um exemplo de sucesso: foi apresentado o Codese-BH, o Conselho de Desenvolvimento Econômico Sustentável e Estratégico. Apartidário e com visão de longo prazo, partiu de um “núcleo de ignição” formado por Fiemg, Sebrae, Fecomércio, ACMinas, Associação do Hipercentro, Sinduscon-MG, Aelo-MG, CMI/Secovi, CDL-BH, CAU-MG, Crea-MG, Asbea, SME, Sert-MG e Setcemg-MG.

Novos membros se somaram, e já são 64 entidades dos mais variados setores da sociedade civil, inclusive universidades, formando grupos de trabalho de Desenvolvimento Econômico, Planejamento Urbano, Desenvolvimento Social, Educação, Tecnologia e Inovação.

Assim como a iniciativa de Maringá, o Codese de Belo Horizonte nasce sem vínculo oficial com o poder público. O reconhecimento oficial veio por lei três anos depois na Cedin paranaense, quando a cidade entendeu que esse era um órgão importante de ser consultado. O sucesso de iniciativas como essa depende de disposição e resiliência para levar as ideias em frente, e nesse sentido a iniciativa mineira começa bem. 

O projeto se iniciou em agosto de 2021, justamente com a fase de sensibilização dos agentes, e realizou nesta semana um workshop em que foram apresentados resultados dos grupos de trabalho, e a ata de fundação foi registrada. A Câmara Municipal de Belo Horizonte já está entre os membros, e, com a institucionalização, poderemos avançar nos próximos passos.

Já no primeiro grande evento, os avanços foram visíveis. Com a presença no mesmo painel da Agência de Desenvolvimento da RMBH, órgão do governo do Estado, e da Superintendência de Mobilidade, ligada à prefeitura, o Codese já conseguiu protagonizar uma capacidade de aglutinação que o poder público não exercia.

Insisto muito que perdemos diversas oportunidades nos últimos cinco anos justamente porque, por picuinhas pessoais, a Prefeitura de Belo Horizonte não se articulou com Betim, Contagem e Nova Lima para discutir já grandes temas da metrópole. Vencer o isolamento da capital é algo também que já estamos fazendo no Legislativo, convidando as Câmaras de toda a região metropolitana para debater os interesses comuns.

Vencer as resistências pessoais e intrigas de governos de turno, consolidando-se como um fórum permanente de discussão que coloca a cidade acima de interesses menores, tem tudo para ser a grande marca do Codese. Honrado por ter sido convidado para participar do workshop desta semana, parabenizo os criadores da entidade pela iniciativa, que merece ser apoiada por quem sonha uma cidade que vença não só os desafios de hoje, mas que esteja pronta para o que vem amanhã.

Compartilhe:
Gabriel de a a z

CONFIRA OUTROS ARTIGOS: